ENTREVISTA: Kat McNamara fala sobre atuação, Shadowhunters, estilo e mais com a Modeliste Magazine
23 de janeiro de 2017 categoria principal: Entrevistas
Postado por Leili Santos
COMPARTILHE

Kat fez um lindo photoshoot e falou sobre Shadowhunters, atuação, seu estilo e futuros trabalhos para a Modeliste Magazine. Confira:

Ensaios Fotográficos – Photoshoots > 2017 > Modeliste Magazine

A atriz, Kat McNamara, fala com a Modeliste sobre o que mais a inspira em atuar, seus últimos ícones de moda, seus próximos projetos de cantar e compor, e o que a faz se sentir um máximo todos os dias. Além disso, veja seus itens essenciais de moda e beleza aqui.

Onde você cresceu?
Eu cresci em Kansas City, Missouri. Churrasco, beisebol, fontes. Eu amei crescer lá.

O que te inspirou para começar a atuar?
Nós vivemos em um mundo que foca muito em beleza, perfeição e filtros que algumas vezes esquecemos que a real beleza da humanidade está nas imperfeições. Não tem nada de errado em se esforçar para ser o seu melhor, mas não mude completamente quem você é para se adequar a um molde. Isso é o que me inspira a criar esses personagens – a oportunidade de expor falhas humanas numa perspectiva positiva. Atores vão aos lugares emocionalmente desconfortáveis e confrontam esses problemas na esperança de que isso irá inspirar pessoas a refletir sobre suas próprias vidas e quaisquer problemas que eles podem estar enfrentando.

Você tinha outras aspirações sobre o que você queria ser antes de ir atuar?
Sim! Na realidade, eu nunca desejei me tornar atriz. Meu plano inicial era seguir na área de finanças. Economia era a minha paixão e eu queria me tornar uma analista financeira, diretora financeira ou economista. Entretanto, eu encontrei um amigo da família que estava dirigindo uma peça comunitária, dei uma chance por diversão, me apaixonei e bom, o resto é história. Realizei meus sonhos econômicos obtendo um Bacharelado em Administração de Empresas.

Você estrela um show eletrizante e bem sucedido, Shadowhunters. Você pode descrever o seu papel?
Primeiramente, obrigada. Em segundo, eu interpreto Clary Fray, uma estudante de artes do Brooklyn que descobre que ela é uma Caçadora de Sombras, uma caçadora de demônios metade anjo, metade humana. Conforme ela é jogada nesse mundo, ela enfrenta alguns demônios, literais e figurados. Na segunda temporada, em particular, você vê uma nova maturidade em Clary enquanto ela começa a entender o que significa ser uma caçadora de sombras e como usar seus talentos únicos para encontrar seu lugar no mundo. O que eu mais admiro na Clary é que o seu fogo interior e relutância em aceitar derrotas. Não importa o que aconteça com ela, ela sempre tem essa fagulha de esperança em que ela se agarra. Isto é algo que todos nós poderíamos usar no momento.

Qual a parte mais desafiadora desse papel?
As partes mais desafiadoras são as mais excitantes. Fisicamente, o papel é muito exigente. Nós fazemos a maioria das lutas e acrobacias então há um bom treinamento obrigatório no nosso tempo livre. Eu realmente aprecio o desafio de aprender diferentes artes marciais assim como empurrar minha capacidade física a novos níveis. Além disso, eles continuam expandindo nossos personagens enquanto desenvolvem e fornecem arcos interessantes e desafiantes para todos nós. No geral, a série é um processo de aprendizado enorme para mim e estou amando cada minuto.

Shadowhunters é ambientada em um cenário de fantasia onde existem vampiros e lobisomens e fadas – você sempre teve interesse neste tipo de história de fantasia quando criança? O que te intrigou nesse papel que fez você querer encenar essa personagem?
Eu sempre amei contos de fadas e histórias de fantasia. Eu também sempre amei histórias com personagens femininas empoderadas e independentes no comando. Shadowhunters fornece ambos para mim. Eu sempre acreditei que há um pouco de magia para ser encontrada no mundo se nós escolhermos vê-la. Agora, eu posso viver e criar essa magia todos os dias. Além disso, Clary fornece uma interessante jornada de uma garota que é obrigada a ter responsabilidade e seriedade sem qualquer preparação. Seu crescimento em quem ela está destinada a se tornar, é verdadeiramente a viagem do herói e sempre um estudo. Sua paixão e desejo para o que ela faz combina com a minha e com o meu trabalho. Ela tem fogo e isso me inspira todos os dias.

O que a segunda temporada reserva que os telespectadores devem ficar ligados?
Eu não tenho a liberdade de revelar muito neste momento, nem gostaria de estragar o show para ninguém. Mas o que posso dizer é que a segunda temporada leva o Mundo das Sombras para o próximo nível. Agora que tivemos a chance de estabelecer esses personagens, relacionamentos, e o mundo, temos a oportunidade de mergulhar mais fundo na história. Nesta temporada, nós empurramos os personagens para além dos seus limites, os tiramos do equilíbrio, o que os faz ir a lugares e os obriga a revelar partes de si que você não consegue ver nem mesmo na série de livros. Ninguém está seguro, nada é sagrado, e nenhum relacionamento escapa ileso. O que esses personagens estão aprendendo é que não há um bem ou mal puros neste mundo, é tudo em tons de cinza em um mundo de sombras.

O que é um dia típico no set para você?
Algo que amo sobre Shadowhunters é que nunca há um “dia típico”. Há tantos aspectos e elementos para o show, todo dia produzem um novo desafio. Alguns dias são mais focados no drama de um personagem, enquanto outros são completamente baseados em ação. Nunca há um momento entediante nesse set!

Como você descreveria seu estilo?
Eu descreveria meu estilo pessoal como clássico moderno. Eu fico em uma paleta de cores neutras e silhuetas clássicas acentuadas com peças inesperadas para adicionar um pouco de modernidade. As pessoas dizem que eu uso muito preto, mas eu amo. É simples, chique, e faz eu me sentir o máximo todos os dia. Além do mais, eu posso brincar colocando peças diferentes juntas se elas são todas da mesma cor.

Tem algum ícone da moda que você admira?
Emma Watson, Gigi Hadid, Audrey Hepburn, e Winona Ryder dos anos 90.

Quais são 3 itens de roupas básicas que cada menina deve comprar para ter um guarda-roupa sofisticado?
JAQUETA DE COURO – casual para vestir, o máximo para estilo boho, uma jaqueta de couro é o camaleão de um guarda-roupa. Além disso, se você investir em uma peça de qualidade, pode durar anos.
BOTAS VERSÁTEIS – encontre um bom par de botas que combinem com seu estilo e calce até desgastar! Elas não só são confortáveis e funcionais, elas tornam qualquer look um pouco badass.
JÓIAS BARATAS – Procure uma peça com a qual você se conecte, que significa algo para você ou declara quem você é. Algo simples e versátil que pode combinar com qualquer look pode personalizar o seu guarda-roupa.

Quais são os seus 3 aplicativos favoritos do momento no seu telefone?
Spotify – Estou sempre procurando por música nova.
Buzzfeed – Ele tem um grande equilíbrio de diversão e informação.
Pinterest – Receitas, decoração de casa, cores de unhas, tendências de maquiagem, novos exercícios – ele tem tudo!

Qual música você mais tocou neste mês?
Shape of You – Ed Sheeran, Sthlm Nights – Peg Parnevik, Somebody Else – VERITE

Qual é a sua atual cor preferida para os lábios?
Minha cor atual para os lábios no cotidiano é o chubby stick da Clinique, Whole Lotta Honey. No entanto para sair ou qualquer outra ocasião especial eu adoro brincar com os batons da ColourPop. Eles têm tantas cores incríveis!

Você tem algum produto de cabelo favorito que é essencial?
Oribe é minha obsessão atual quando se trata de produtos de cabelo. Seu shampoo e condicionador mantêm o meu cabelo saudável. O spray de texturização segura, ainda mantendo-o palpável. O Balm d’Or Heat Styling literalmente conserva o meu cabelo da destruição quando uso secador.

Para onde você mais gostaria de viajar que você não foi ainda?
Todos os lugares. Viajar é um dos meus passatempos favoritos. Dê-me o meu passaporte e uma passagem e eu estou pronta para ir. Viajar fornece tanto aprendizado, experiência e compreensão de outros pontos de vista, eu acho isso realmente grandioso. Sinceramente, esta é uma escolha difícil de fazer porque eu quero ver o mundo. Eu acho que Europa é a minha próxima aventura, talvez a Tailândia… América do Sul? Claramente tenho algumas decisões a fazer…

Qual é o seu espírito animal?
Meu animal espiritual é uma zebra, eu acho… Ela é poderosa, ativa e vive uma vida em preto ou branco, ela nem sempre sabe qual é qual. Eu sempre quero que minha vida seja bem definida, certo ou errado, a ou b, para cima ou para baixo, mas eu estou aprendendo que nem sempre é o caso… Eu tenho que me lembrar de aceitar um pouco as áreas cinzentas da vida e que está ok se eu não souber se eu sou branca com listras pretas ou preta com listras brancas.

Descreva um típico dia de folga do trabalho.
Novamente, meus dias nunca são típicos e isso é divertido. Se eu tiver tempo livre, estou trabalhando no meu Mestrado em Literatura, provavelmente indo à academia ou à uma aula de spinning, comendo comida mexicana, e passando um tempo com os amigos. Eu provavelmente estarei em uma noite de jogos jogando Mafia ou adivinhando charadas até as primeiras horas da manhã.

Você tem algum projeto por vir que possa nos contar?
Música! Além de Shadowhunters e Maze Runner: A Cura Mortal, estou escrevendo e gravando música no meu tempo livre. Eu realmente gosto de ter um lado criativo em que não estou em um personagem. Minha música me permite partilhar um pouco de quem eu sou com o mundo e é muito refrescante. Eu mal posso esperar para que as pessoas escutem.

O que você ama na Modeliste?
Eu amo que Modeliste é destemida e experimental. Eu me diverti muito nessa sessão de fotos, brincando com o guarda-roupa diferente, cabelo e maquiagem, e configurações de iluminação. Eu aprendi muito e realmente estive fora da minha zona de conforto. Obrigada!

Tradução: Equipe Kat McNamara Brasil

ENTREVISTA: Kat McNamara fala sobre Shadowhunters e mais para a Bellus Magazine
20 de janeiro de 2017 categoria principal: Entrevistas
Postado por Leili Santos
COMPARTILHE

Confira o photoshoot e a entrevista da Katherine McNamara concedida para a Bellus Magazine, onde ela fala sobre o processo de audição de Shadowhunters, sua personagem e mais:


Ensaios Fotográficos – Photoshoots > 2017 > Bellus Magazine

O que te inspirou a ser atriz?

Eu nunca pensei em ser atriz. Quando criança, eu sonhava em trabalhar com finanças. Eu estava determinada a trabalhar até me tornar CFO (Chefe do Setor Financeiro) de uma empresa multinacional, comandar a minha própria empresa, ou me tornar uma consultora financeira. No entanto, tudo isso mudou quando eu encontrei um amigo da família que precisava de uma dançarina em uma peça de teatro da comunidade. Eu tinha dançado por toda a minha vida como um hobby e era uma criança que tentava qualquer coisa. Eu nem imaginava que estava prestes a mudar o rumo completo da minha vida. Eu nunca vou esquecer o momento em que eu entrei no palco na noite de estreia. Senti a energia da platéia, o calor das luzes, a pressa de uma apresentação ao vivo e algo me atingiu como uma parede de tijolos. Eu tive esse momento de absoluta clareza de que isso era o que eu precisava fazer pelo resto da minha vida. Eu soube nesse momento que eu fui colocada nesta terra para contar histórias.

Qual é a história por trás de como você entrou em Shadowhunters?
É uma história um pouco longa… Vou tentar resumir o melhor que posso. Obviamente, o canal queria tomar o seu tempo para ter certeza que montariam o grupo de atores que poderiam dar a série o seu melhor lançamento, então eles levaram o tempo necessário no processo e de forma bastante compreensível. Eu fiz a primeira audição cerca de 6 meses antes de ser escalada e, em seguida, não ouvi nada durante vários meses. Então, eu recebi uma chamada pedindo-me para voltar ao diretor e produtores, e isso começou um turbilhão de cerca de uma semana de chamadas: diretor, produtor, canal, estúdio e sobre qualquer outro tipo de reunião e teste que você pode imaginar. Também fiz teste de química com Dom (Jace) e Alberto (Simon). Dom e eu já éramos amigos, então ter um rosto familiar na sala tornou o processo um pouco mais relaxado – isso me permitiu brincar um pouco mais em nossa sessão. Alberto e eu nos encontramos na sala de espera para um de nossos testes. Lembro-me de entrar na sala e ver outra Clary e o outro Simon e imediatamente notei um dos Simon. Eu pensei para mim mesma “lá está ele. Olá, Simon.” Eu não acho que eu tenho que te dizer que era Alberto. Quase imediatamente nós nos demos bem e começamos a brincar um com o outro. Quando chegamos ao nosso teste de química, já tínhamos um bom relacionamento. MAS – a parte mais louca do processo de escalação aconteceu nas últimas duas horas. A conta da série twittou que eles anunciariam a atriz que interpretaria a Clary em 2 horas. Eu não tinha ouvido nada deles, mas eu sabia que era entre mim e outra atriz. Eu achei que ela tinha conseguido desde que eu não tinha ouvido nada ainda. Então recebi um telefonema da minha equipe dizendo para esperar porque não tinham contado nada a ninguém. Eu então continuei o meu caminho até a academia e malhei pelas próximas duas horas apenas para lidar com a energia nervosa. Finalmente, dez minutos antes de anunciarem a Clary, eles me ligaram e me contaram que eu tinha sido escalada. Nos dez minutos seguintes fiquei sem palavras. Emocionada, mas sem palavras porque percebi que o fandom inteiro estava prestes a descobrir que eu estava assumindo essa personagem amada. Eu estava aterrorizada. Eu não tinha ideia de como eu seria recebida. Felizmente, o fandom me deu uma recepção calorosa e tem sido uma viagem louca desde então.

Como é trabalhar em Shadowhunters?
Esta é uma pergunta muito difícil de responder, porque não há dois dias no set de Shadowhunters que sejam iguais. Nós temos tanta coisa acontecendo na série – entre as cenas de ação, os personagens, e a mitologia em si – é muito para acompanhar, mas fornece uma boa variedade para a vida no set. Então trabalhar em Shadowhunters é essencialmente uma montanha-russa louca. É intenso, rápido, às vezes assustador, você pode acabar um pouco suado ou machucado até o final do dia, mas está tudo envolvido nesta euforia e alegria inexplicável por ter feito tudo no final.

Shadowhunters tem uma boa parte de cenas de luta e você faz um monte de suas próprias cenas de ação. Como é o treinamento para a série?
O treinamento para a série é um dos meus aspectos favoritos de ser uma parte disto. Nós fazemos a maioria da nossa própria ação neste momento, com exceção daquelas consideradas muito perigosas (mesmo que nós imploremos para fazermos essas). Somos capazes de fazer isso por causa do nosso treinamento. Temos um instrutor incrível que adapta exercícios para cada uma das nossas necessidades e objetivos específicos, para nos ajudar a estarmos fisicamente prontos, como também ter resistência e força que estão preocupados que tenhamos na série. Temos também um incrível coordenador de dublês e sua equipe que são todos mestres e campeões de artes marciais, ou outras formas de luta, que nos treinam em nossas habilidades de combate. Aprendendo os princípios das artes marciais, ao contrário de aprender apenas alguns movimentos, nós temos mais flexibilidade no dia da cena se as coisas precisam mudar e somos realmente capazes de fazermos mais a longo prazo enquanto nossas habilidades aumentam. Tenho a vantagem de fazer a viagem física com Clary no sentido mais literal. Ela não sabe nada de luta quando começa a série, mas rapidamente consegue habilidades enquanto ela treina com os outros Shadowhunters. É realmente muito divertido.

Qual foi a cena e luta mais intensa que você já fez?
Eu não sei se foi a mais intensa, mas eu tenho que dizer um das minhas cenas favoritas foi com o wire gag (um tipo de arma) eu usei no episódio 4 da segunda temporada. Nós trabalhamos bastante com cenas no ar nesta temporada, isso é um sonho tornado realidade para mim (quem não quer voar como o Peter Pan?), e isso só adiciona para a natureza sobrenatural de nossos personagens enquanto eles lutam. Esta acrobacia é basicamente um salto voando para uma facada e foi tão incrível aprender sobre como tudo funciona e o que vem junto. Essencialmente, eu estou usando um arreio sob minha roupa para que seja enganchado aos fios no teto. Quando o sinal vem, o puxador dá a sua extremidade um bom puxão e eu vou saltando através do ar. Você não percebe o quanto esforço é preciso para voar através do ar e parecer controlado de qualquer forma. Isso é onde o treinamento entra e compensa muito.

Shadowhunters é baseado na série de livros Os Instrumentos Mortais, você leu os livros antes de conseguir seu papel como Clary Fray?
Eu comecei a ler os livros durante o processo de audição e me apaixonei instantaneamente pela série. Eu amo a forma que Cassie teceu essa mitologia tão romântica e criou personagens tão complicados e interessantes. Foi muito importante para mim como atriz ler os livros, pois boa parte da história é contada no ponto de vista da Clary. A forma que ela descreve os lugares, pessoas, e eventos informa muito sobre quem ela é e me deu um entendimento real. Embora nos afastamos do enredo dos livros na série, nós permanecemos fiéis aos personagens e a essência da história. Eu realmente gosto das diferenças, bem como das referências aos livros na série. Isso atinge um equilíbrio bom e nos permite dar a essa história uma nova vida nas telas.

O que você mais ama sobre sua personagem Clary Fray? Você tem algumas similaridades com sua personagem?
O que eu mais amo sobre a Clary é que ela é imperfeita. Sim, ela é a heroína com habilidade incrível e boas intenções, mas ela é jovem e está aprendendo. Ela se joga em situações de todo coração e, como todos nós, muitas vezes cai de cara no chão. Ela faz escolhas egoístas, ela hesita em seus esforços, e ela perde a paciência às vezes. Mas o que é mais importante sobre isso é o fato de que ela sempre escolhe tentar novamente. Ela se recusa a aceitar a desesperança e sempre tem a crença de que o bem vai ganhar de alguma forma. Ela tem uma eterna chama de esperança dentro dela que eu acho que todos nós podemos adotar.

Que conselho você pode dar a outro aspirante a artista por aí que queira seguir uma carreira na atuação?
Eu diria aos aspirantes a atores ou artistas para amar verdadeiramente o que você faz. Ter uma carreira criativa não é fácil. Haverá um pouco de rejeição e crítica no seu caminho e você tem que ser capaz de ter uma pele grossa para perseverar através disso. No entanto, se você ama o que você faz, e encontra felicidade nisso – a negatividade se desvanece em segundo plano e é o melhor trabalho do mundo. Honestamente, para qualquer carreira há obstáculos no caminho. Esse esforço se torna parte de sua história – faz o resultado final do sucesso valer a pena. Portanto, não importa quais sejam seus sonhos – persiga com todo o seu ser. Se você ainda não sabe o que você quer fazer com sua vida, coloque-se lá fora – encontre uma paixão e mergulhe nisso com toda a sua alma. Não tome não como resposta e nunca desista.

Você pode nos contar 5 filmes que você ama?
Gilda, Cinderela em Paris, A Princesa Prometida, Os Suspeitos, Prenda-me Se For Capaz.

E 5 bandas que você ama?
The 1975, Bastille, Two Door Cinema Club, The Chainsmokers, o elenco de Hamilton conta?

Bellus é latino para a beleza. O que a beleza significa para você?
Para mim, a beleza está em toda parte se você a procurar. A beleza é sobre tomar o tempo para apreciar esses pequenos detalhes e pequenos momentos que tornam a vida, seu entorno, uma pessoa, um pôr do sol, especial. A beleza não é sempre algo físico – é sobre o sentimento que pode ser ilícito do espectador. Beleza para mim é a individualidade e a confiança para mostrar o que te faz diferente. A beleza é bondade, luz e amor. Então, muitos vêem a beleza e a perfeição como sinônimo… Eu realmente acho que há mais beleza na imperfeição e diferença. Algo que eu acho tão interessante é o quanto a beleza depende da perspectiva. Uma pessoa pode ver algo tão incrivelmente bonito, enquanto outra pessoa não pensa o mesmo. É por isso que é tão ilusória. A beleza é passageira, é inteiramente subjetiva – e, no entanto, é isso que a torna especial.

Qual é o próximo passo para Katherine McNamara?
Eu realmente não sei. Mas acho que isso é o que torna a vida excitante. O futuro é desconhecido, mas isso significa que está cheio de possibilidades e oportunidades. Essa é uma das coisas que eu tenho mais apreciado sobre a minha vida – a natureza inesperada da direção da minha vida. A incerteza costumava me aterrorizar – ainda faz algumas vezes. Entretanto, eu comecei a perceber que há um tipo especial de beleza na espontaneidade. Ela me dá a oportunidade de dizer sim a qualquer oportunidade que a vida coloca na minha frente e permanecer aberta a tudo o que vem em meu caminho. A variedade é o tempero da vida e eu pretendo provar tudo. Na minha opinião, a vida é para se viver. Se eu tiver uma oportunidade para continuar a minha carreira ou esticar-me criativamente, vou fazer tudo o que posso para levá-la. Dessa forma eu posso olhar para trás na minha vida sem lamentar as chances perdidas. Em última análise, eu quero continuar contando histórias, criando personagens e encontrando a beleza nas imperfeições da vida. Eu sou um camaleão, um metamorfo, uma atriz.

Fonte | Tradução: Equipe Kat McNamara Brasil

GALERIA: Kat McNamara na Abertura do 2nd Annual Moët Moment Film Festival
13 de janeiro de 2017 categoria principal: Eventos
Postado por Leili Santos
COMPARTILHE

Dia 4 de Janeiro a Kat esteve presente na festa de abertura do 2nd Annual Moët Moment Film Festival. Confira as fotos dela no red carpet:

Eventos e Aparições – Events & Appearances > 2017 > (04-01) Abertura do 2nd Annual Moët Moment Film Festival

ENTREVISTA: Kat McNamara para a Obsessee – “É nossa responsabilidade fazer com que nossas vozes sejam ouvidas.”
13 de janeiro de 2017 categoria principal: Entrevistas
Postado por Leili Santos
COMPARTILHE

Confira a entrevista traduzida e o photoshoot da Kat para o site Obsessee:


Ensaios Fotográficos – Photoshoots > 2017 > Obsessee

“Desde que Shadowhunters começou, tudo mudou na minha vida,” diz Katherine McNamara (você provavelmente a conhece como Clary Fray da série da FreeForm). ”Ter pessoas que são igualmente apaixonadas pela série faz com que todo o sangue, suor e lágrimas valham a pena, mas ainda sou apenas eu. Eu ainda estou tentando descobrir o que significa ser adulta, ao mesmo tempo em que sou jogada nesse mundo de fantasia.” Mas recentemente, Katherine tem trabalhando para mudar a realidade de um jeito importante – ela está usando toda a sua paixão para o bem como Embaixadora da Girl Up, uma iniciativa patrocinada pelas Nações Unidas, que ajuda e incentiva as jovens nos países em desenvolvimento. “Pequenas diferenças podem se juntar para fazer uma grande mudança”, Katherine explica seu trabalho. “Por exemplo, o dinheiro arrecadado foi usado para comprar bicicletas. Nós vamos dar uma bicicleta a uma garota que, de outro jeito, não poderia ir à escola.” E uma boa notícia para qualquer um de vocês que buscam fazer a diferença: Isso é algo que qualquer um de vocês podem fazer! “Eu conheci vários estudantes do ensino médio que são embaixadores em sua própria forma e são grandes defensores”, ela ressalta. “Temos que fazer tudo ao nosso alcance para tornar nosso mundo um lugar melhor.”

O primeiro passo? Começar um diálogo sobre coisas importantes aqui e agora. Ela fez isso com seus companheiros de elenco. “O elenco está sempre conversando enquanto faz o cabelo e a maquiagem,” Katherine diz. Nós somos um grupo diverso, e nós passamos muito tempo juntos, então quando nós conversamos, nós trazemos nossa própria perspectiva para debater as coisas de uma forma bem real. Por exemplo, eu tenho muitos amigos que estavam realmente preocupados sobre seu futuro no decorrer da eleição. Ver essas pessoas feridas abriu meus olhos para toda a questão de passividade e a questão da nossa geração não sentir que eles podem fazer a diferença ou ter voz. É nossa responsabilidade fazer com que nossas vozes sejam ouvidas.”

“Eles dizem que a única constância em nosso mundo é a mudança, e cara, nós podemos ver que isso é verdade com o passar dos anos. Isso pode ser aterrorizante para alguém. Mas é aí que entramos. Nós somos uma nova geração de mentes abertas e individuais, disposta a ouvir opiniões diferentes da nossa. Nós temos o poder de iniciar a mudança que queremos ver no mundo, e eu acredito que é essencial tirar vantagem dessa oportunidade. Pessoas estão escolhendo fazer suas vozes serem ouvidas e falar o que eles sentem ser certo. Eu bato palmas para pessoas que não ficam como espectadores diante os problemas da nossa sociedade. O ativismo político e social é uma das responsabilidades mais importantes que temos como membros de uma nação e comunidade global; além disso, temos ter certeza de tomar atitudes que tenham influência positiva, e não negativa.”

“Neste momento, nós temos que nos unir – como comunidade, como uma geração. Temos que tomar atitudes, falar, fazer nossas vozes serem ouvidas, mas de uma forma inclusiva. Antes de falar algo no calor da emoção, tire um tempo. Faça uma pausa. Escute. Avalie a situação e encontre uma forma de não apenas destacar o problema em questão, mas ser parte da solução. Escute todas as perspectivas, não apenas as que seguem sua linha de raciocínio. Se eduque para saber a causa do problema. Se você entender a situação completa, de todos os ângulos, do passado ao presente, você pode ser ainda mais útil na mudança que precisa ser feita. Nós temos o poder, a oportunidade, e a paixão para iniciar uma mudança positiva e fazer a verdadeira diferença para melhorar seu mundo. Nós, como sociedade, estamos em um ponto de virada. Tome uma atitude. Pratique a pró-atividade positiva.”

Tradução: Equipe Kat McNamara Brasil

GALERIA: Kat McNamara na Times Square
02 de janeiro de 2017 categoria principal: Fotos
Postado por Leili Santos
COMPARTILHE

Hoje a Kat esteve no GMA para divulgar Shadowhunters e foi fotografada fora dos estúdios, na Times Square, junto com o ator Burkely Duffield e atendendo fãs, confira:


Fotos de Paparazzi – Candids > 2017 > (02-01) Fora dos estúdios do GMA em New York

ENTREVISTA: Kat McNamara fala sobre Shadowhunters, música e mais ao Tiger Beat
23 de dezembro de 2016 categoria principal: Entrevistas
Postado por Leili Santos
COMPARTILHE

Confira a entrevista da Kat ao Tiger Beat onde ela fala sobre a segunda temporada de Shadowhunters, sobre seu projeto musicial e seu mestrado em Literatura:

Como está sendo as filmagens da segunda temporada de Shadowhunters?
Está ótimo! Na primeira temporada, montamos o mundo, a história e as relações básicas para começar a jornada. Mas nesta temporada, você realmente irá ver mais profundamente algumas das relações dos personagens e como eles mudam, e partes do Mundo das Sombras que nós não conseguimos ver na primeira temporada.

E esse não é o único projeto no qual você está trabalhando.
Sim! Eu tenho trabalhado com música por um longo tempo, e está finalmente começando a dar frutos. Algo que eu amo muito sobre a minha música é que em todos os outros aspectos criativos da minha carreira, eu estou interpretando um personagem. Mas quando se trata da minha música, eu estou realmente compartilhando uma parte de mim e das minhas experiências com minhas próprias palavras.

Quais são suas influências musicais?
Eu tenho inspiração de um várias fontes diferentes. As minhas favoritas agora são Halsey, Melanie Martinez e Alessia Cara. As músicas delas são tão individuais e únicas, e cada um delas tem seu próprio som, assim você pode facilmente dizer que é delas.

Você escreve e grava com isso em mente?
Sim! Eu tenho escrito com alguns amigos meus que são produtores. Algumas das canções eu que escrevi e algumas não, mas todas são sobre algo que se conecta em algum nível muito pessoal. Eu tenho trabalhado na música há vários anos, e está finalmente começando a parecer certo. Todas as peças estão se encaixando e eu sinto que é algo que estou finalmente pronta para compartilhar.

Você também está trabalhando em seu mestrado em literatura!
Sim! Eu sempre fui uma grande nerd e adorava a escola. É algo que tem sido sempre uma prioridade para mim, então eu consegui o meu diploma do ensino médio aos 14 anos, meu bacharel em administração de empresas aos 17, e agora estou tomando meu tempo, fazendo cursos quando eu posso, para obter o meu mestrado.

Por que receber o seu mestrado é tão importante para você?
Embora muita coisa tenha mudado ao longo dos anos, eu aprendi que uma coisa sempre se mantém o mesmo, e é a educação. Não importa o que aconteça na sua vida, não importa pelo o que você passar, não importa o caminho que você tomar, o conhecimento e as habilidades que você conquistar com a sua educação sempre ficarão com você e vão lhe servir. A educação é realmente um dom que deve ser apreciado, e não temido.

Existe alguma coisa que você quer compartilhar com seus fãs?
Eu realmente amaria apenas dizer obrigada por seu apoio sem fim!

De Prova de Fogo para Shadowhunters
Eu acho que a minha parte favorita de toda esta jornada de Shadowhunters, além de poder dar vida a uma história tão grande que realmente significa muito para muitas pessoas, é compartilhar isso com o elenco e com todos os envolvidos no projeto.

Tradução: Equipe Kat McNamara Brasil

Página 3 de 2412345...